segunda-feira, 10 de maio de 2010

Oi.

Sem delongas e adornos, esse é e sempre será o melhor pontapé inicial de uma conversa. Dessa palavrinha surgiram grandes debates, notícias, fatos, fotos, memórias.

Estou iniciando mais um blog - acho que o terceiro ou quarto - e espero que este permaneça por um tempo. Porque tenho uma leve tendência e enjoar de blogs. Das cores. Do nome. Da bagunça ou organização. Do blog sim, de escrever nunca. Continuo quieta, construindo versos e contando contos, para satisfazer a necessidade pessoal de alguém que escreve. Sim, porque intitular-me escritora é deveras pretensioso.

Mas não para por aí.

Todo ser que escreve tem o desejo de ser lido.
Como todo ator gosta de ser visto; todo músico, de ser ouvido; toda dançarina, de ser aplaudida; todo pintor, de ser contemplado. Isto não é baixa auto-estima do artista, absolutamente. É querer mostrar seu eu, sua visão de mundo. É querer dizer através da arte o que provavelmente não seria aceito em um discurso.

Como de praxe em toda boa introdução, permitam-me revelar um pouco sobre o que vocês encontrarão por aqui: tudo. Do conto à poesia. Do causo à crônica. Da opinião ao desabafo.

Assim é e será o Memórias do Eu.
Memórias do Eu.
Memórias doeu.

E voltem sempre...

3 comentários:

HELIÉBER disse...

Parabéns "Pequena" grande escritora, desejo muito sucesso para você nesse vasto mundo dos versos, poesias, desabafos...Muito, Muito sucesso mesmo e que Deus te ilumine sempre.Lembre sempre que sou seu fã número 1.

rebeca disse...

memórias doeu :P

Fernanda Paiva disse...

Memórias Doeu :)

Postar um comentário

Sou toda ouvidos.