sexta-feira, 25 de junho de 2010

Arte à venda

Atenção, senhoras e senhores!
Vende-se poesia
Do seu jeito,
Do seu gosto!
Por um preço que vale a pena.

Sejam sonetos ou versos livres;
À la Bilac ou liberdade;
Que falem de amor
Ou escuridão.
O preço, garanto, é irresistível.

Pode ser revolucionário
Ou de rimas juvenis.
Pode ser expressionista
Ou render-se ao barroco.
O preço quem diz é você.

Que não influencie o Poeta!
E quem precisa da Musa?
Faça apenas o pedido,
E nos dê vinte e quatro horas.
Se for com rima, porém,
[mais quatro.


4 comentários:

Ana Karenina disse...

Me vê um poema prosado com pitadas de concretismo, por favor!
Ó, mas sem muito revolucionismo!

=)
Muito bom, Nanda. Você é melhor a cada dia.

Anônimo disse...

Me vê três punhados de poema que seus olhos sejam o tema.

Me salvam o dia seus escritos

F.Nobre

Fernanda Paiva disse...

E é por pessoas como vocês que ainda acredito que a vida dá uma bela poesia, com suas adversidades, desilusões, sorrisos e delírios...

Flávio Otávio Ferreira disse...

rsrsrs legal!!!
manda ver um épico aí!!!
Abraços!

p.s.: passando por curiosidade e gostando bastante!!!

Postar um comentário

Sou toda ouvidos.